Autores

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
AULA PARTICULAR DE INFORMÁTICA INICIANTES E 3ª IDADE. Aulas em domicilio e on-line, totalmente práticas. Aprenda Word, Excel, Internet, Enviar e receber e-mail, Facebook, Skype e muito mais. Área de Atendimento:Zona Sul RJ Para confirmar disponibilidade do local e horários entre em contato: 21 96853-2720

Aluguel apto de 1 e 2 quartos temporada Copacabana.

Meus anúncios na OLX

sábado, 7 de maio de 2011

Marcha da Maconha reúne 5.000 pessoas em Ipanema e termina com três detidos!!!

Secretário do Meio Ambiente, Carlos Minc, e músico participaram do evento
André Paino/R7
Secretário de Meio Ambiente Carlos Minc, que foi à marcha com colete feito de fibra de maconha



Ao som de marchinhas de Carnaval com letras adaptadas à legalização da maconha, cerca de 5.000 pessoas participaram na tarde deste sábado (7), da oitava Marcha da Maconha, de acordo com cálculos da Polícia Militar. Artistas e o secretario do meio ambiente, Carlos Minc participaram do protesto. Apesar do clima tranquilo durante a marcha, ao fim do evento três pessoas acabaram detidas em uma confusão com a PM, que chegou a usar gás pimenta contra os participantes.
Um dos participantes da marcha, durante a caminhada, colou um adesivo do evento e foi detido pela PM. Quando isso ocorreu, manifestantes começaram a discutir com os policiais, que usaram o spray de pimenta. Dois adolescentes ofenderam os policiais e foram detidos por desacato. Todos foram encaminhados para a Delegacia do Leblon (14ª DP).

O evento, que tem como objetivo reivindicar a descriminalização do uso da maconha, teve concentração no Jardim de Alah, no final da praia de Ipanema, zona sul do Rio, e terminou no Arpoador.

De acordo com o organizador da marcha e sociólogo Renato Silva, o evento, que acontece em 300 cidades de 40 países diferentes, tem como objetivo fazer um debate sobre a política de drogas, sobre a proibição da maconha, reivindicando a legalização, tanto da produção, como do comércio e distribuição da erva. Do ponto de vista de Silva, a descriminalização pode resolver diversos problemas sociais, principalmente ao que se refere ao trafico de drogas.

- A legalização iria tirar a maconha do círculo do crime, já que o mercado fica na ilegalidade e favorece as quadrilhas e consequentemente a violência.

Para o vocalista da banda Detonautas, Tico Santa Cruz, o artista deve exercer o papel social.

- O meu papel como artista é participar. Não estou aqui para fazer apologia à maconha, apenas promover o debate. É uma sociedade alcoólatra e tabagista que condena a legalização da maconha. É hipócrita"


Já para o secretario estadual do Meio Ambientes, Carlos Minc, que usava um colete de cânhamo, uma fibra têxtil de Cannabis sativa, nome científico da maconha, o Brasil passa por um momento brilhante e manifestações como essa são de extrema importância para derrubar qualquer tipo de preconceito no país.

- Estamos vivendo um momento maravilhoso. O STF [Supremo Tribunal Federal] aprovou os direitos da união homossexual. Temos uma presidente mulher. Está na hora de descriminalizar a maconha.

Porém, nem todos os participantes estavam de acordo com a manifestação. É o caso do professor de educação física Otávio da Silva Guimarães, que acredita que esse tipo de protesto é equivocado.

- Antes de fazer uma manifestação de legalização da maconha, as pessoas deveriam buscar preencher seus vazios interiores de uma forma que não seja necessário o uso de substâncias. Maconha altera a consciência e esta não deve ser alterada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários:

Lembramos que não somos responsáveis por nenhum evento/produto que por ventura esteja sendo mencionado. O que está escrito na caixa de comentários é gerado pelos próprios usuários e expressam suas próprias opiniões. Reservamos-nos ao direito de apagar qualquer comentário, sem aviso prévio, caso julguemos necessário para o bom funcionamento desse blog.

APOIO