Autores

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
AULA PARTICULAR DE INFORMÁTICA INICIANTES E 3ª IDADE. Aulas em domicilio e on-line, totalmente práticas. Aprenda Word, Excel, Internet, Enviar e receber e-mail, Facebook, Skype e muito mais. Área de Atendimento:Zona Sul RJ Para confirmar disponibilidade do local e horários entre em contato: 21 96853-2720

Aluguel apto de 1 e 2 quartos temporada Copacabana.

Meus anúncios na OLX

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Metrô do Rio se expande sem criar malha para Olimpíada de 2016



A expansão do metrô no Rio de Janeiro com a construção da linha 4, que vai ligar Ipanema à Barra, vai beneficiar milhares de pessoas que se deslocam diariamente entre as zonas oeste e sul, mas a opção de prolongar a rede de forma linear – e não em malha – é fortemente criticada por pesquisadores e moradores de vários bairros da cidade.
Qual o principal problema do metrô do Rio de Janeiro?
A linha 4 vai partir da praça General Osório (que precisará passar por obras de adaptação) e terá outras cinco estações: praça Nossa Senhora da Paz (Ipanema); Jardim de Alah e praça Antero de Quental (Leblon); São Conrado e Jardim Oceânico (Barra). Na prática, funcionará como uma extensão da linha 1.
O projeto original, licitado em 1998 no governo de Marcelo Alencar, foi abandonado pelas administrações seguintes. Ele previa um trajeto de 9 km com a construção de seis estações: Jardim Oceânico, São Conrado, Gávea, Jardim Botânico, Humaitá e Morro do São João. Quatro anos depois, o traçado foi alterado a partir da estação Humaitá, de onde o metrô seguiria por Laranjeiras (zona sul) até a estação Carioca (centro).
José Eugenio Leal, professor de Engenharia de Transportes da PUC-RJ (Pontifícia Universidade Católica), considera o atual traçado da linha 4 uma boa opção. No entanto, avalia o especialista, os potenciais benefícios dessa expansão ficariam limitados, caso o trajeto original seja deixado de lado.
– A cidade não pode ter um metrô completamente longitudinal, mas sim uma malha. Mas uma coisa obrigatoriamente não exclui a outra. A ideia em si é boa. Será ruim se significar não fazer a continuação do traçado original da linha 4, da Gávea, passando pelo Humaitá até chegar ao morro do São João. E ainda tem uma alternativa até melhor do que essa que é a que passa por Laranjeiras.

Mobilização de moradores Em dezembro passado, 30 associações de moradores e outras entidades enviaram uma carta ao governador Sérgio Cabral (PMDB) reivindicando a retomada do traçado original da linha 4 e a extensão desta até o terminal Alvorada, na Barra.
A Secretaria Estadual de Transportes afirma que, no momento, a prioridade é a ligação Ipanema-Barra. A obra, incluída a pedido do governo do Estado no caderno de encargos com os quais o Rio se comprometeu para sediar a Olimpíada de 2016, vem sendo considerada fundamental para desatar o nó no trânsito em uma das regiões mais engarrafadas da cidade.
O racha provocado pela linha 4 foi tema de uma audiência pública na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro) no dia 9 de maio. Professor de Urbanismo da UFF (Universidade Federal Fluminense), Sérgio Rodrigues Bahia questionou a falta de um planejamento de longo prazo que permitisse melhorar a mobilidade no Rio.
– No passado, ainda que não houvesse recursos, havia um planejamento. Temos que aproveitar a oportunidade, mas é preciso ter uma visão mais ampla visando não só aos jogos, mas às demandas reais da sociedade.
Para Leal, a expansão do metrô no Rio – que cresceu menos de 3 km nos últimos dez anos – ficou estagnada por falta de vontade política dos governos e pela pressão exercida pelas empresas de ônibus. Embora ainda esteja longe do ideal, a malha do metrô paulistano cresceu seis vezes mais neste mesmo período.

– No Rio, ficou estagnado por decisão política dos governos. Muda o governo e resolvem não fazer. São Paulo não é tão refém das empresas de ônibus como o Rio.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários:

Lembramos que não somos responsáveis por nenhum evento/produto que por ventura esteja sendo mencionado. O que está escrito na caixa de comentários é gerado pelos próprios usuários e expressam suas próprias opiniões. Reservamos-nos ao direito de apagar qualquer comentário, sem aviso prévio, caso julguemos necessário para o bom funcionamento desse blog.

APOIO