Autores

Minha foto
Rio de Janeiro, RJ, Brazil
AULA PARTICULAR DE INFORMÁTICA INICIANTES E 3ª IDADE. Aulas em domicilio e on-line, totalmente práticas. Aprenda Word, Excel, Internet, Enviar e receber e-mail, Facebook, Skype e muito mais. Área de Atendimento:Zona Sul RJ Para confirmar disponibilidade do local e horários entre em contato: 21 96853-2720

Aluguel apto de 1 e 2 quartos temporada Copacabana.

Meus anúncios na OLX

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Visitantes de escolas do Rio usarão crachás após tragédia em Realengo



 
 
As 1.065 escolas municipais, 250 creches e 47 Espaços de Desenvolvimento Infantil (EDIs) do Rio terão que identificar seus visitantes com crachás. A decisão foi tomada pela Secretaria municipal de Educação após a tragédia na Escola Tasso da Silveira, em Realengo, quando, em 7 de abril passado, um jovem invadiu a escola atirando e matou 12 alunos.
A Secretaria informou na manhã desta segunda-feira (17) que até o fim deste mês de outubro todas as escolas já terão recebido os crachás e, à medida em que foram recebendo o material, já podem começar a fazer a identificação dos visitantes.
Segundo a Secretaria, o visitante tem que ser cadastrado na portaria e só poderá circular nas dependências de escolas, creches e EDIs com o crachá.
 A Secretaria explicou ainda que, posteriormente, os funcionários também passarão a usar crachás.
EDIs
No dia 13 de outubro, foi inaugurado um Espaço de Desenvolvimento Infantil (EDI) na Penha, na Zona Norte, com o nome de Mariana Rocha de Souza, uma das vítimas do do massacre da Escola municipal Tasso da Silveira. A unidade foi inaugurada pela RioUrbe porque foi construída com o conceito totalmente sustentável.
Em setembro, foram inaugurados um Espaço de Desenvolvimento Infantil no Recreio dos Bandeirantes, e um  em Santa Cruz, ambos na Zona Oeste do Rio, com nomes de outras vítimas tragédia. As unidade atenderão a crianças de 6 meses a 5 anos e 11 meses de idade.
Em agosto, Larissa dos Santos Atanázio, morta no tragédia, deu nome a um EDI em Paciência, na Zona Oeste, para atender a atender 200 crianças.

Em julho, duas creches foram inauguradas com nome de vítimas da tragédia, uma no Alto da Boa Vista, na Zona Norte,  uma em Honório Gurgel, no subúrbio.

A prefeitura homenageou a jovem Samira Pires Ribeiro em maio ao inaugurar uma creche em Guaratiba, na Zona Oeste, com o nome da aluna. Outra creche, em homenagem a Ana Carolina Pacheco da Silva, foi inaugurada em junho na Cidade de Deus, também Zona Oeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comentários:

Lembramos que não somos responsáveis por nenhum evento/produto que por ventura esteja sendo mencionado. O que está escrito na caixa de comentários é gerado pelos próprios usuários e expressam suas próprias opiniões. Reservamos-nos ao direito de apagar qualquer comentário, sem aviso prévio, caso julguemos necessário para o bom funcionamento desse blog.

APOIO